Paróquia Nossa Senhora
da Conceição

Costa da Caparica

200111082245_1-dom-tc-batismo-do-senhor-comentario-s-jeronimo-ano-a

Comentário à Festa do Batismo do Senhor (AnoA)

São Jerónimo (347-420)

Presbítero, tradutor da Bíblia, Doutor da Igreja

Comentário sobre Mateus, III, 13-16; SC 242

O Batismo de Jesus

 «Naquele tempo, Jesus chegou da Galileia e veio ter com João Batista ao Jordão, para ser batizado por ele». O Salvador recebeu o batismo de João por três razões. A primeira, porque, tendo nascido homem, queria cumprir todas as prescrições da lei, incluindo as mais humildes; a segunda, para sancionar o batismo de João por meio do seu batismo; a terceira, para manifestar, santificando a água do Jordão pela descida da pomba, a vinda do Espírito Santo aquando do batismo dos fiéis.

«Deixa por agora»: diz «agora» para mostrar que, se Cristo devia ser batizado na água, João devia sê-lo por Cristo no Espírito. Outro sentido: «Deixa por agora» porque Eu, que assumi a forma de escravo, quero viver toda a humildade dos escravos. Mas também, ficas a saber que, no dia do Juízo, tu terás de ser batizado no meu batismo. «Deixa por agora», diz o Senhor, também Eu tenho um batismo com o qual tenho de ser batizado [o batismo da Paixão]; tu batizas-Me na água para que Eu te batize no teu sangue [em referência ao batismo de João pelo martírio].

«Convém que assim cumpramos toda a justiça». Não acrescentou que se tratava da justiça da Lei nem da justiça da ordem natural, para que incluíssemos as duas. Se Deus recebeu o batismo de um homem, ninguém deve julgar-se indigno de recebê-lo de um companheiro de servidão.